1) Autor e o assunto
O nome original do Jikji é "Baek Un Hwa-sang Buljho Jikji Shimche Yojhol". O significado do nome é a coisa mais importante que o Buda disse sobre o Jikji, que trouxeram do livro dos antigos e foram redigidos.
O autor e o editor foram diferentes. Baek Un Hwa-san foi a pessoa que escreveu este livro, ele nasceu no ano 1289 e formou-se em buda quando era criança. Baek Un é a denominação do Baek Un Hwa-sang, o nome buda é Gyeong Han. Foi o maestro da seita Zen, falhecido em 1374. Depois que ele morreu os alunos dele Seok Chan e Paljam publicaram o livro do maestro em tipográifica metálica (Gum-Sok Hwaljha), em 1377. A buda cuidou do sustento deles e ajudou financeiramente.
O assunto do Jikji é a coleção sobre o ensino da Buda. O assunto principal do Jikji é Jikji Shimchae, "Jikji In Chim Gyeon Seong Seong Bul"(entendimento do Budismo) que provém das pallavras famosas da seita Zen, "quando oulharmos o pensamento da pessoa atravéção, podemos saber que a origem desse pensamento vem dos pensamentos do Buda". A versão literal do Jikji pode-se dizer 'o ensino exto', 'o espirito honrado', 'governar justamente', etc.

2) O Jikji que foi para a França
Muitos coreanos pensam que os franceses saquearam o Jikji pelo Byeong In Yang Yo, em 1866, mas é diferente com a verdade. Joseon fez o tratado com muitos países ocidentais, no final do ano 1800, como também fez com a Fraça em 1886, qual foi o 'Tratado de Comércio Amistoso entre a Coréia e a Fança'.
Depois, no seguite ano do tratado, Victor Collin do Plancy, o primeiro representante público da Fança, foi a pessoa que o designou, além da Coréia, tmabém o Japão e a China, quem gostava de colecionar materiais antigas. Não se sabe como o Collin do Plnacy colecionou o Jikji, mas sendo visto no do Maurice Courant em 1901 podemos ver que foi colecionado em torno de 1900.
O Jikji foi vendido no leilão no Hotel Duruo, e Henry Verer, que gostava de colecionas materiais antigas, o comprou exatamente em 180 francos, e o colecionou. De acordo com o testamento do Henry Verer os materiais dele foram doado na Biblioteca Nacional da França, entre issos também inclui o Jikji.
O motivo que foi recusado o requeriento do retorno do Jikji foi porque o mandaram para a França. Parece que o requerimento foi recusado mais ainda porque foi recusado o requerimento de retorno do Patrinômio Cultural de Pilhagem justamente nesse momento também.
O Jikji ficou muito tempo na salad a Biblioteca Nacional da França, mas foi encontrado pelo estudante Doutor Park Byeong-Seon, que estudava a História da Coréia, e que trabalhou alí desde 1967.
Originalmente o doutor não tinha muito entendimento sobre as tecnologias da imprensa, mas depois de estuda-los por 3 anos ele descobriu que o Jikji é a impressão tipográfica metálica, um dos melhores inventos.
Celebrando o "Ano de Literatura Internacional" o doutor Park fez a exibição do Jikji na exibição de livros, a qual foi auspiciado pela Biblioteca Internacional da França em 1972. Através disto o Jikji foi publicado internacionalmene. Durante o tempo da exibição muitos historiadores examinaram o livro, e foi aprovado internacionalmente como a impressão tipográfica metálica mais antiga do mundo.

3) Evidência que o Jikji é a impressão tipográfica metálica.
Tem várias evidências que o Jikji é impressão tipográfica metálica. Basicamente pode-se ver a diferença no metal. Na impressão feito na madeira pode-se ver que as letras são mais limpos e também pode-se ver que é encravado com faca. Ao contrário a impressão em metal a letra não é clara, e pode-se ver que as partes da letra não estãoo bem imprenssas. As letras do Jikji são imprenssas igualmente, por isso se pode ver que é impressão tipográfica metálica.
Tem outras razões também. Primeiramente, o epilogo do Jikji o aprova. No último capítulo do Jikji está escrito sobre quem, quando, onde, como foi publicado. Neste texto podemos ver a palavra "Ju-ja" em letra chinesa e esta palavra significa impressão tipográfica metálica, por isso isto quer dizer que o Jikji foi publicado em impressão tipográfica metálica.
Em Segundo, aparece as letras que estão revirado. Na página 12, 24, 29 do Jikji aparece a letra Il(日-dia) revirado, isto quer dizer que é a evidência contrária que o livro foi impresso com o mesmo tipo de impressão.

4) Jikji, o document de herança internacional
A opinião de registrar o Jikji no Registro Internacional de Heranças foi sugerido pela primeira vez na Associação de Chyeongju da UNESCO, no seminário de aprovamento com o Centro Cultura de Impressões Antigas e a UNESCO, em 1996. Deu como conclusão desta reunião que a cidade de Chyeongju é uma cidade cultural de impressão antigas. Também que devemos tratar de registrar o Jikji no Registro Internacional de Heranças, porque o livro é uma das heranças de qualidade internacional.

De acordo com a cidade de Chyeongju, o Museu de Cultura das impressões antigas de Cheyongju, UNUSCO, a comité da Coréia, etc, com o esforço dos seguintes Orgão Relativos no dia 27 até 29 de Junho em 2001 foi alistado na lista com 42 pontos na quinta Comissão Consultiva no Registro Internacional de Heranças da UNESCO, e no dia 4 de setembro de 2001 o Jikji foi registrado no Registro Internacional de Herança.

O programa do Registro Internacional de Herança da UNESCO redige a lista a cada dois anos, desde o ano 1993. Para preparar o efeito de recurso de preservação estão se esforçando para a preservação do Registro de Herança.
A norma da seleção do Registro Internacional de Herança 1) influência 2) hora 3) local 4) pessoa 5) tema . objeto 6) forma e estilo 7) valor social, etc, estes são as primeiras normas; e as segundas normas são 8) a presservação da forma atual, 9) incomum.

O atual Registro Internacional de Herança de 2001, estão resgritados 69 artículos de 32 países. O caso da Coréia são : Hung-Min-Jong-Um (antigo alfabeto coreano) Haerebon, Joseon-Wang Jo-Sillok (história da Dinastia de Joseon), Jikji, Sung Jong-Won Il-gui ( o diário de Sung Jong-Won), etc.
O efeito do registro do Registro Internacional de Herança, pode-se preparar para o progresso como uma organização legal que podem receber a preservação e a proteção internacional, sobre o controle de preservação da UNESCO, o benefício tecnológico é possível, também o uso do distintivo do Registro Internacional de Herança e através da internet é possível continuar a propaganda.

5) A estimação do Jikji pelas pessoas do mundo

1. Bendik Lucas, chefe da comissão da Comissão Consultiva de Cheongju
O Bendik Lucas da biblioteca Municipal de Noruega, no dia 27 até 29 de Junho de 2001, foi o presidente do 4(quarto) Comitê feito junto à 5(quinta) Comissão Consultica de Cheongju da UNESCO em Cheongju. Através da entrevista dele soubemos sobre a comissão consultiva e o registramento do registro da herança do Jikji.

P: Poderia me falar sobre a aparência de Cheongju e sobre o resultado da comissão?
R: A nossa comitê, através da reunião em Cheongju onde foi impresso a mais antiga tipográfica metálica, tivemos o resultado de determinação de 21 heranças. Além do mais, eu senti ao ver numerosa quantidade de crianças visitando o museu de imprensas antigas, que as cultura de imprensa, a cidade de Cheongju, registro de heranças irá crescer no futuro.
P: Para ser selecionada como a herança registrada, tem que passar nas suas influência e no valor que o material deu na sociedade? Qual foi o critério da seleção do Jikji?
R: O Jikji é a imprensa tipográfica metálica mais antiga que existe. Este livro deu influência na humanidade e se extendeu. Por isso, foi um dos materiais que mais teve a influência. Além do mais, é um dos mais incomun e também deu influência para poder ser selecionada na registro da herança. É por causa que restou apenas um livro na França.
P: Ouvir dizer que o Jikji e a bíblia de 42 líneas de Gutenberg foi produzido ao mesmo tempo.
R: O Jikji é a mais antiga imprensa tipográfica metálica(Gum-sok-Hwal-jha) e a bíblia do Gutenberg é a imprensa mais antiga da Europa aos estilo tipográfica metálica. Estas duas heranças tranformou totalmente a cultura da impressão na humanidade. A Associação da UNESCO fez a entrada no Programa de Registro de Heranças com elas e as recomendou para que fosse registrado. Eu vou me esforçar para aprender como difundir e conservar as antigas culturas de impressão, ao retornar para a UNESCO.

2. Al Gore, Vice Presidente dos Estados Unidos
Em 1995, ele participou da reunião de Ministro no Centro de Comunicação G7 em Brúxula da Bélgica e disse que "os coreanos foram os primeiros a produzir a imprensa tipofráfica metálica, mas diferença da Europa, a Coréia não conseguiu difundir sobre essa cultura." Além do mais, em 2005, no Fórum Digital realizado em Seul publicaram que "A Revolução Digital da Coréia, historicamente é o segundo presente sobre a história da humanidade."

3. Dietrich Schiller, General do Centro de Arquidos de Som da Austria
O Jikji é o primeiro lovro da imprensa tipográfica metálica. Este foi a difunção revolucional. Porque naquela época era muito fácil espalhar as informações através dos livros. Por isso, se pode dizer que era a internet da Idade Média.

4. Joy Springer, Representante do Centro de Registro de Herança da UNESCO
Em 2001, o Jikji foi selecionado como a herança registrada pela UNESCO. Através disto, vemos que o mundo está se desenvolvendo na conservação dos registros da herança, isto, talvés é por causa da influência dos coreanos e os habitantes de Cheongju.